Logo Gennex

Eric D’Amico

Open Banking: A Revolução no Universo Financeiro

O Open Banking representa um novo caminho de diversas oportunidades para clientes que buscam mais benefícios no universo das finanças.

Ao refletir sobre isso, neste artigo iremos explicar o que é o Open Banking e as suas vantagens.

O que é Open Banking?

O Open Banking é uma série de tecnologias, bem como regras e integrações, capaz de transmitir informações de uma empresa para outra. Assim, todos os produtos e serviços bancários deverão melhor atender às demandas do usuário, o que proporciona um atendimento mais personalizado e soluções mais eficazes.

O seu termo deriva da língua inglesa e significa “Sistema Financeiro Aberto”, o que revela a ideia de promover ao público a chance de compartilhar dados e serviços entre diferentes instituições.

Dessa maneira, uma importante qualidade do Open Banking é o controle do cliente, onde este poderá pedir ao seu banco, por meio de seu aplicativo, o compartilhamento dos seus dados com outra instituição, sendo uma forma favorável àqueles que querem explorar novas oportunidades.

Portanto, as suas vantagens são:

  • Inovar o sistema financeiro;
  • Promover a concorrência;
  • Melhorar a oferta de produtos e serviços financeiros;

O Open Banking na prática

De acordo com o Infomoney, em 2018 o Reino Unido foi o pioneiro na área ao implementar um sistema similar ao sistema. Em seguida, a Austrália e a Índia deram os seus primeiros passos para a criação do Open Banking.

Sendo assim, o êxito deste sistema se mostra cada vez mais próspero, o que causa diversas vantagens aos que optam por este caminho. Nesse sentido, é claro que, de modo geral, os países possuem diferenças no que se refere a liberação de dados.

Se pensarmos no Brasil, por exemplo, é presumido uma série de dados cadastrais autorizados para a partilha entre empresas.

São alguns dados:

  • os pessoais (nome, CPF/CNPJ, endereço, telefone, e-mail etc.)
  • os transacionais (renda e faturamento)
  • de serviços e produtos utilizados pelo cliente.

Portanto, é importante lembrar que essas contam com a permissão do usuário, logo, a sua privacidade não é invadida em nenhum momento.

Por outro lado, um dos requisitos para participar das instituições no Open Banking é a sua execução sob algum tipo de regulação oficial do Banco Central. Sendo necessário a obrigação definitiva da participação de corporações tidas como S1 e como S2 (por exemplo, Banco do Brasil, BNDES, Bradesco, Itaú etc.).

Além dessas instituições, existem também as que têm adesão voluntária, como o Nubank e o PicPay.

Dessa forma, é claro que o interesse é grande, justamente pela disputa gerada.

Nesse sentido, todas as instituições terão acesso a dados de clientes em uma única plataforma (API), o que promoverá serviços mais úteis para os diversos casos.

Qual a grande vantagem em ter um Sistema Financeiro Aberto?

Segundo o G1, facilitar a licença do crédito – o que sem dúvida promove taxas mais exatas ao perfil de risco do tomador do empréstimo – é um excelente exemplo.

Além disso, o site ressalta diferenciais capazes de transformar a experiência do cliente, como a criação de serviços personalizados e com preços mais atrativos. Sendo assim, com base tanto nos dados de consumo como nos de renda e de transações financeiras, a instituição irá alcançar cada vez mais a satisfação do seu público.

Se formos parar para analisar, o Open Banking é uma revolução no “universo das finanças” em vários sentidos, pois a iniciativa busca democratizar os produtos financeiros – como os empréstimos – e permite que o cliente escolha a empresa que oferece a melhor opção para o seu caso. Ou seja, o sistema abre espaço para que o usuário analise as condições a partir da partilha de seus dados e humanize uma área antes mais rígida.

Em outras palavras, podemos dizer que o Open Banking criou uma abertura para que o cliente criasse o seu “banco particular”, este formado pelas qualidades que mais fazem sentido para o seu caso e para a sua vida.

Desse modo, o Open Banking é oportunidade. Humanidade. Diversidade. Representatividade.

O Open Banking é a revolução do universo financeiro.

Fale conosco

Veja também

Sobre

MATRIZ – Brasil – São Paulo – CNPJ: 10.141.065/0001-00
Alameda Santos, 1893/1909 – 8° andar – Conj. 82 – Cerqueira César – São Paulo/SP, CEP: 01419-002.
Operações: Brasil | Argentina | Chile | Colômbia | México | Peru